sábado, 7 de janeiro de 2012

Bichinho = estima + ação


Há dúvidas que martelam: ter ou não ter um bichinho de estimação?
Quem nunca vivenciou essa experiência não irá compreender, nem tampouco abrigar os argumentos “prós” utilizados por aqueles que incluíram em sua rotinha um animalzinho, seja ele qual for.

Se houvesse uma balança para pesar e comparar os pontos positivos e os negativos referentes a esses pequenos seres, muita gente ficaria surpresa , alteraria o olhar indiferente e, quem sabe, procuraria compensar o tempo perdido apostando no SIM (por que, não?)

Essas criaturinhas maravilhosas, conhecidas vulgarmente como “irracionais” vão além das suas naturais e instintivas funções fisiológicas, metabólicas, bio-moleculares e genéticas; elas possuem uma força e um poder imensos que mal cabem dentro daquele corpinho, seja ele peludo, pelado, com escamas, com penas..

Em sua humilde sabedoria, os animais conseguem nos transmitir alguns elementos essenciais para o bom desenvolvimento do ser humano, como: amizade; cumplicidade; amor; carinho; companhia; distração; alegria; brincadeiras; sensibilidade; responsabilidade; disciplina; valores; respeito; zelo; maturidade; estímulo à prática de exercícios físicos, e, sobretudo, a compreensão do ciclo natural da vida: nascer, crescer, reproduzir, envelhecer e morrer. (...)

Gatos(as): Romão, Rosinha, Misinha, Julie, Nosferatus, Juninho, Danilinho, Natacha, Tom, Joãozinho, Rani, Ximbica...
Cachorros(as): Tininha, Vlade, Ianca, Pandora, Átila, Síson, Milu...

Esses são alguns dos companheiros, disfarçados de animais, que desfilaram pela passarela do meu lar, acompanharam e assistiram ao crescimento dos meus filhos(Danilo e Patrícia) e neto (Gabriel). Muitos desses bichinhos já concluíram sua missão por aqui. Alguns, bem resistentes, quase atingiram duas décadas conosco; outros, muito frágeis ou indefesos, imitaram uma chuva de verão na rapidez da chegada e da partida. Há, felizmente, ainda aqueles que continuam no cenário, não como figurantes, mas como personagens que dão mais sentido e cor ao nosso enredo humano e racional.

Entretanto, a morte, infalível como ela só, carrega uma imensidão de disfarces e se prevalece de cada máscara para recolher, um a um os seus, sob o pretexto de: acidentes naturais ou provocados, velhice, enfermidades e até envenenamento. Neste último, em especial, pode contar com a cruel colaboração de pessoas desprovidas do sentimento de respeito pela vida, aquelas que convivem e dividem suas horas com outros que se autotitulam ”racionais”. Será que não imaginam que a principal diferença entre o “racional” e o “irracional” está na tolerância e no permitir a continuação da existência própria e da alheia?

video
Momento carinhoso entre Joãozinho e Ximbica
(poucos dias antes de ela ser envenenada por algum desumano)

(Zizi Cassemiro, mãe do Danilo e da Patrícia, avó do Gabriel)
(Saudosa daqueles animais queridos que se foram naturalmente vencidos pelo relógio temporal, e triste pelo cruel envenemento de seu cachorro Milu e seus gatos: Tom e Ximbica no final de 2011)

10 comentários:

  1. Zizi,
    para variar,um texto perfeito!!!
    Que legal que ficou a montagem de fotos...
    Fiquei emocionada com a história do envenenamento dos animais... Triste como há pessoas que não têm coração, acham que os bichos são "coisas" e não é crime matá-los... Por que fazem isso? Não entendo mesmo!
    Enfim, lindo texto. Digno de revistas chiques, jornais importantes...
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Nossa, Zizi... Sustive a respiração aqui...
    Primeiro quando li a chamada no Facebook, porque lembrei, na hora, do que tinhacontecido com seus companheirinhos. Então já vim aqui preparada pra fortes emoções... Aí parei naquelas fotinhas com cara de fotonovela, e achei o máximo!!

    Depois o 3º parágrafo me pegou e grudei nele, saboreando aquela organização, a escolha de palavras, aquela dosagem de ciência e graça...

    E ainda vinha mais... Imagino a dor que estava em você quando homenageou seus amigos, a torrente de sentimentos que saiu junto com suas letrinhas, Zizi. Uma gracinha eles no vídeo...
    Um beijinho quentinho procê, Zizi, foi muito bom "começar" o dia lendo você!

    ResponderExcluir
  3. Nina, obrigada pelas palavras doces que veio amenizar a minha amargura e o seu elogio me levantou a estima. Bjosss

    Else, também encantei-me com o seu comentário trazendo a sua marca e forma especial de expressão que me deixam sempre alta do chão.
    Acertou na mosca quando imaginou a forma em que eu estava quando escrevi sobre os meus bichinhos, principalmente os que foram levados à força pela maldade do homem.
    Aliás, eu já estava desde o começo da semana ansiosa por hoje devido ao tema a escrever, pois os fatos mencionados aconteceram na semana passada e eu ainda não os superei. Mas, do meu jeito, vou aos poucos me adaptando... obrigada pelas doces palavras.

    ResponderExcluir
  4. Já tive muito bichinhos de estimação e são companheiros que trago no coração por toda a vida. Agora tenho uma cachorrinha linda que toda a família ama.
    Adorei o post.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Zizi, passei minha infância com animal e lógico que casei e ganhei de presente de casamento uma cachorra. hehehe Pedro sempre conviveu com animais e penso como você, colocando os prós e os contras, os prós vencem. E outra coisa, não acredito que ele não tenham inteligência nenhuma, acho que são muiiiiiiito inteligentes. Infelizmente existem pessoas muito mais irracionais e fazem maldades que não dá realmente para explicar. bjss

    ResponderExcluir
  6. Só para variar, já comecei amando o título, super criativo e bem construído, e depois me diverti com o mosaico de fotos!!! Perfeito!!! E o texto então?!? Minha noooossa!!!

    Realmente todos os bichinhos amigos que passaram pela minha vida, em todas as faixas etárias, me deram de presente todos os ingredientes por vc tão sabiamente citados, mas com toda certeza eles ensinaram melhor essa efemeridade mesmo da vida... essa necessidade de vivenciar todos os ciclos...!!! Muito bem lembrado, e registrado!!! Parabéns!!!

    Legal vc ainda conseguir citar nominalmente todos os seus bichinhos... Não sei se saberia fazer isso, mas tentarei!!! Quero exercitar minha memória bichana afetiva!!! Depois te conto o resultado!!! rs rs rs

    POético o seu texto, como tudo o que magicamente sai de vc!!! Não me surpreende, assim como não mais me surpreende a insensibilidade presente em alguns ditos humanos, mas sim a humanidade presente em tantos e tantos animais!!! Que bom que eles existem e que tem tantas coisas a nos ensinar, sempre!!! Um beijo!!!

    ResponderExcluir
  7. Chris Ferreira, obrigada pelo carinho. Conheci seu blog que é uma graça e bem diversificado.

    Cris Happy, os bichinhos tem personalidade: uns são mais mal humorados que outros, outros são mais companheiros, etc...igual às pessoas, não é? Eu fico só observando os que eu tenho e converso muito com o pessoal de casa, associando cada bicho à determinadas pessoas. É divertido kkkk. Obrigada pelo carinho.

    Dequinha, obrigada pelos elogios, você eleva o ego da gente. Esse texto, em especial, eu escrevi muito emocionada porque faz poucos dias que aconteceu a tragédia com três dos meus bichinhos. Procurei fotos de alguns para colocar porque todos eles foram e são muito amados. Mas vários não apareceram aqui, você viu a lista de nomes kkkkkk. E não são somente aqueles. Há outros que ficaram pouco tempo e não me lembrei, sem falar das crias que nasceram e tiraram fotos tb.

    ResponderExcluir
  8. Zizi, título, fotos, vídeos e um TEXTO impecáveis! Fiquei grudada aqui lendo e me emocionei de verdade no final, quando soube do envenenamento. Às vezes fico envergonhada de pertercer a essa raça, viu...eu também tive um gatinho envenenado e nunca mais esqueci. Muito triste isso...

    No mais, é lindo seu amor pelo animais. Um beijo grande pra você.

    ResponderExcluir
  9. Zizi, não tem como não ficar emocionado com o seu texto, ainda mais quando você citou o envenenamento, pois um dos que eu tive também foi envenenado por algum desumano como você classificou.
    Fiquei encantada pelo seu amor para com os bichinhos, isso me chama muito a atenção, porque eu sou uma daquelas que não quer bichinhos em casa, gosto muito deles, mas todos longe de mim, aí eu fico admirada por de repente me deparar com pessoas como você que gosta tanto deles e me pergunto: será que eu deveria ter um animalzinho em casa? É para pensar! Amei seu texto! Bjos

    ResponderExcluir
  10. Ziz,
    Sou fã de seus textos, sempre me prendem!
    Quando eu era criança, também tive um gatinho (o Reizinho) que foi morto cruelmente por algum vizinho desumano que o enforcou na trave do campinho, bem em frente a minha casa.
    Eu consigo imaginar o que você passou, principalmente por mostrar que todos na sua casa gostam de bichinhos de estimação.
    Seu post valeu também como uma denúncia a essas "pessoas" (se é que assim poderiam ser chamadas).
    Parabéns, pra variar!

    ResponderExcluir

O que lhe veio à mente depois de ler este texto?!? Queremos muito saber!!! Comente!!! Obrigada!!!