domingo, 29 de janeiro de 2012

Pintando o 7, o 8, o infinito...

Decorando a parede que separava os dois apartamentos, antes que ela fosse derrubada!! 


O primeiro rabisco não autorizado da Talitinha foi num diário de classe! Eu sentada no chão, passando médias, e ela do lado, com os brinquedinhos. Fui fazer qualquer coisa na cozinha e botei os diários, abertos, no sofá. Quando voltei e dei com o estrago, tudo cobertinho pela caneta vermelha...  fiquei  fora de mim,  imaginem vocês o meu pânico, porque meu coordenador naquela época era um a pessoa irascível, inconversável, incoerente e outros “ins”, eu só pensava na bronca que iria levar! Tempos depois, foi pega em flagrante pintando, cuidadosamente, as pernas da mesa com liquid paper. (Kkkkk, e uma vez, eu é que fiz a bagunça, pintando seus pezinhos e mãozinhas com cola colorida. À medida  em que a cola secava, acho que ia repuxando e ela fez um escarcéu danado!! Sujamos o tapete do banheiro com a cola vermelha e o Mô, quando chegou de madrugada, achou que alguém havia se ferido gravemente!!!)

E foi por causa daquele pequeno incidente que comprei pra ela uns tijolinhos de giz-de-cera, que ela esfregava em todo lugar,  dentinhos, bonecas,  chão, papéis e paredes (só na casa da minha mãe...), com acentuada curiosidade científica.  Poxa, o Tariq não teve a mesma oportunidade, quando procurei  pra ele, ninguém nem tinha ouvido falar nos tais tijolinhos... E os da irmã já estavam muito carcomidos!

Eu tinha o costume de forrar o chão da sala com jornais, estender um lençol velho por cima e ali a gente soltava nossa veia artística, ao som de música clássica... Tinha guache, tesoura, cola colorida, massinha  (com toda aquela parafernália, forminhas, faquinhas, roletes  etc), lápis de cor e canetinhas, pincéis de tudo que é jeito e esponjinhas!!! Uia uia uia, tô até com calor só de lembrar como era bom, o chão ficava lotado de pinturinhas e criações de massinha, nem tinha lugar pra pisar...  Eles ficavam loucos de alegria com aquela expansão sensorial, era uma festa, me emociona lembrar! Hoje imagino como eles se sentiam bem, podendo se soltar à vontade, sem censura, sem mandos e desmandos!!

Curiosamente, vejam vocês como são as coisas, quando o Tariq foi pra escola, depois da creche, ficou com uma resistência danada a trabalhinhos artísticos, odiava ter de desenhar, pintar, recortar, o que fosse.  Nunca soube o que causou esse bloqueio.  Sua letrinha só ficou “civilizada” após 1 ano de psicomotricidade, um trabalho corporal e emocional  lindo, infelizmente interrompido por motivos financeiros. Hoje ele realiza com prazer todas as atividades que envolvam essa manipulação, ontem mesmo ele pintava, animado, com os lápis aquareláveis, enquanto eu punha ordem no nosso quarto de bagunças!

A Talita desde sempre se manifestou engraçadinhamente com os lápis. Ela criou umas bonequinhas que interagiam com seus exercícios em provas, livros e cadernos. Nós  e seus professores ríamos pra caramba, as “niitas” tinham um quê de Mafalda! Criticavam o tipo de enunciado, mexiam  levemente com uma ou outra cobrança exagerada, uma graça. Atualmente numa pasta ela guarda os produtos de seus desafogos adolescentes, desenhos cheios de simbolismos, de significados, sobre os quais conversamos quando ela quer.

Aaaah, nada como ter liberdade para se expressar!!
                           
                                          (Else, mãe dos bem-resolvidos-das-tintas Talita e Tariq)


7 comentários:

  1. Else, sua história dá água na boca, que delícia sentar com os filhos e desvendar juntos a criatividade aflorada em todos! É emocionante ler essas linhas tão bem detalhadas dos rabiscos, imagino então você na hora de escrever tudo isso. A Talita carimbou seu diário, minha filha carimbou várias redações com carinhas personalizadas: quando a nota era boa, a carinha sorria, quando a nota era baixa era uma carinha chorando. Depois eu tive que me explicar para os alunos kkkk.
    Mais uma história lindamente contada!!

    ResponderExcluir
  2. Else

    Não me mate de curiosidade. O que o seu coordenador inconversável te disse a respeito dos diários? Se fosse comigo, estaria demitida porque nem diário eu posso trazer pra casa...kkkkkk
    E que coisa mais gostosa vocês todos juntos criando, descobrindo novas combinações de cores, rabiscando...e ouvindo música clássica! Que tudo! Já tentei fazer isso com o Henrique, mas ele não curte muito, não...rs

    Adorei o texto, como sempre riquíssimo em detalhes. Maravilhoso!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Ai que delícia!!! Fiquei aqui imaginando algo como... Um piquenique de massinha?!? E Miguel herdou das priminhas um arsenal dessas ferramentas... facas, garfos, pratos, potes com massinhas, roletes... Ele fica enlouquecido!!!

    Hj ficou radiante só porque eu dei uns cotonetes a ele e um montão de guauche... e papel!!! Fez cada trabalhinho lindo!!! Meu Picasso!!!! rs rs rs

    Adorei a ideia da música clássica... ainda não fiz isso, mas vou tentar qq dia... Vai que vem uma inspiração extra!!! rs rs

    Assim como a índia SImone, fiquei bastante curiosa para saber o que rolou com relação às obras de arte da Talita em seu diário! Miguel dia desses fez algo semelhante, nos diários, mas cismou de colocar uns adesivos, que eu ainda consegui, com jeito, tirar sem causar nenhum dano!!! Ufa!!!!

    E viva a liberdade!!! Que saibamos sempre incentivá-la aos nossos filhotes, independente da idade que tenham!!! Beijos, poderosa!!!

    ResponderExcluir
  4. Eu quase matei a curiosidade de conhecer a Talita, que só deu pra ver um pouquinho...
    O Tariq, fofo,com essa carinha de sapeca, eu já tinha visto.
    Eu também usava música clássica para o Renan dormir. Imagina se eu usasse rock pesado hem? rsrs
    Achei o máximo a sua paciência em fazer toda essa "bagunça gostosa" com seus meninos.
    Eu também fiquei curiosa: como ficou o final da história do diário?
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Else, que lindo texto! Suas histórias são incríveis! Seus filhos com certeza têm muito orgulho de você! Amei o seu texto, você tem muito o que ensinar para todas nós como mãe. Parabéns!

    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Talita Filha Da Else1 de fevereiro de 2012 11:42

    MÃAAAAAAAAE, você nao me disse nada sobre essa foto! ~~surtando~~
    ela pediu autorização pra roubar um dos meus desenhos, e acabou nem colocando ele aqui, magoei, sniff.
    ainda lembro desses troços de pintura, de mim desenhando na parede do quarto da minha tia, e dos desenhos de menininhas nos meus cadernos no primário. ~~eu usava elas pra corrigir erros HORROROSOS que as "tias" escreviam nos exercícios, é.~~

    ResponderExcluir
  7. Elsitaaaa , amo a forma com que você cria seus filhos. A liberdade de expressão é tuuuudo na formação das crianças. Pintar parede , desenhar COM eles ao som de música clássica, são imagens que ficarão para sempre na memória dessas crianças que eu amo. Não é à toa que a Talitinha sempre foi o meu sonho de consumo e vc sabe... O Tariq que também desenvolveu o hábito de leitura também entrou para a lista dos meus favoritos.
    Lembro dessa obra, época de derrubar paredes, mas não tinha visto as imagens. Que delícia de vida, hein?
    Muito bom conviver com vc, conhecer vc! Beeeeijosssss

    ResponderExcluir

O que lhe veio à mente depois de ler este texto?!? Queremos muito saber!!! Comente!!! Obrigada!!!