quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

As imagens que amo!

(Passeio a  São Paulo)
                                              
Eu amo fotografias e amo fotografar. Por diversas vezes, na fase em que o espírito aventureiro invade nosso interior, saudosa adolescência, pensei em deixar tudo e me aventurar pelo mundo em busca de imagens. Infelizmente ou felizmente - como saber?- não passou de um sonho. O choque de realidade foi maior e tive que me conformar com as câmeras que eu ganhava, com as imagens mais próximas  e, mais tarde, com as que o orçamento me permitia comprar.

Depois da maternidade, a coisa se agravou. Continuei fotografando tudo, registro os melhores momentos de forma que se um dia eles ousarem sumir da minha memória, eu possa revivê-los  através das imagens arquivadas. Tenho sempre uma máquina na bolsa. Outro dia, “precisei” comprar um celular e quando percebi, estava preocupadíssima com a resolução da câmera... Tudo pela praticidade...

Contudo, nem sempre foi fácil assim. Na época do Renan não havia máquina digital. A surpresa de mandar revelar as fotos da máquina analógica e ver como elas saíram, também tinha um sabor especial. Tenho  o registro de todas as fases da  vida do meu filho , um álbum com 750 fotos  reveladas só dos seis primeiros meses de vida. Agora, na era digital é que eu me deleito. São incontáveis as imagens, os arquivos lotados, pesando o PC, com a vinda da pequena Maitê. Confesso não ser apegada às câmeras, troco facilmente a que tenho por qualquer outra que apresente melhor resolução. Quanta infidelidade...

Bom, escrevi tudo isso para dizer que fotografia para mim é poesia. Fotos revelam momentos que traduzem e expressam sentimentos. As melhores fotos para mim são as que deixam saudade. Não só as que nos fazem rir de perder o fôlego ou chorar de soluçar, como também, as que nos fazem esboçar breves sorrisos, mas que nos inebriam a alma com doces recordações. E , neste momento, as fotos que trazem as melhores lembranças são as fotos dos meus filhos com o meu paizinho que acabou de nos deixar. Sem dúvida, a melhor pessoa que eu conheci ao longo da vida...

Aí vão as imagens, junto  às maravilhosas lembranças...

(Aniversário de 80 anos) 
(Brincando com a Maitê)

(Viajando com as crianças)
(Nossa doce intimidade)
Pai, sei que o senhor está em um  belíssimo lugar descansando de uma longa e honrada jornada. A certeza de que um dia iremos nos encontrar é o meu acalento. Renan, Maitê e eu te amamos muito.  

(Mônica Jogas - mãe de Renan e Maitê)                         

12 comentários:

  1. O que escrever depois de tanta emoção e ter as lagrimas embaçando os olhos e o teclado? A saudade que já é imensa, explode e arrebenta o peito em um "tsunami" de sentimentos...
    Lindo, minha irmã.
    Pai te amo demais e compartilho com a minha irmã o mesmo acalento.
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A saudade é tanta que dói, né, irmã?
      Beijos

      Excluir
  2. Cheguei tarde pra qqqer ajuda, mas cedinho pra me emocionar. Já disse antes e digo novamente:seu pai nos deixou, mas foi somente desta vez que nos deixou tristes; nunca ngm saiu da presença dele sem se sentir melhor que antes.
    Ele do lugar onde está (e é um lugar lindo de morrer pq alguém como ele só pode estar num lugar assim) encontra-se feliz por ver suas produções aqui postadas, pq sabe que vc agora tem uma forma de espalhar o amor q ele lhe ensinou.
    Mais uma vez seu texto ficou "redondinho", cheio de doçura e tão real que nos identificamos imendiatamente com td o que vc nos diz ali.Parabéns....
    Amo vc mana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc nunca chega tarde... Nunca mesmo! Obrigada pelos comentários, mana!

      Excluir
  3. É o primeiro texto seu que leio e já me emocionei com todas as suas doces palavras. Que bom que você registrou tudo isso também nas câmeras pois tivemos a oportunidade de ver essa linda dedicatória que você fez a seu pai.
    Parabéns pelo belíssimo texto, recheado de amor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada , Vania ! Estaremos sempre em contato por aqui.
      Beeeijos

      Excluir
  4. Temos muitas coisas em comum, pelo visto, e uma delas certamente é a paixão pela fotografia! Tirava tantas de Miguel que nunca vi uma criança ter, em menos de um mês de vida, tantas fotos! Todo mundo se espantava! Hj estou mais controlada, ou menos empolgada por doer ainda, um pouco, ver a minha família desfalcada depois que me separei do pai dele! :-(

    Fotografia para mim tb é poesia, purinha... capaz de mexer com o mais profundo das nossas emoções! Chorei muito vendo as suas fotos deste post... Uma graça o seu pai e sei que está em um ótimo lugar, junto com o meu paizinho. Acredito, piamente, que existe um céu destinado só aos pais... e eles ficam lá, conversando, jogando buraco, dama, xadrez, essas coisas!

    Lindo e emocionante post, só para variar! Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hummm... Um lugar só para os pais? Vou pensar nisso...
      Mas as filhas poderão chegar, né?
      Um beijo enorme e obrigada pelo comentário.

      Excluir
  5. Amei o texto, além de concordar com cada palavra! As fotos realmente são sim muito importantes, nos fazem relembrar de momentos únicos, e isso é maravilhoso, você poder ver o que já foi! Adorei as fotos que postou, temos uma saudade imensa do vovô, com toda a certeza. Não existe coisa melhor do que ter a lembrança gravada em foto desse sorriso meigo e expressivo que ele tinha, tenho a certeza que ele está iluminando o céu todos os dias com sua luz irradiante. Te amo vovô, hoje e sempre!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já disse que te amo hoje, pintinha?
      Beijos da "tia mais interessante que você tem" ...

      Excluir
  6. Mais uma vez o texto ficou ótimo ! As fotos realmente são uma poesia, uma ótima lembrança ! E que saudade do vovô !

    ResponderExcluir

O que lhe veio à mente depois de ler este texto?!? Queremos muito saber!!! Comente!!! Obrigada!!!