quinta-feira, 17 de março de 2016

O vírus do Mico


Acho que nascemos "micadas". Sim, com o vírus do mico produzido a partir das melhores e mais puras intenções. Mãe alguma que eu conheça paga mico por que quer. Não há quem decida sair de casa se programando: "Hoje vou pagar um mico". As coisas simplesmente acontecem...

Há pouco mais de dezessete anos, meu filho ganhou um pirulito. O temido pirulito de bola. Acredito que algumas mães, assim como eu, passaram pelo pesadelo de imaginar seus filhos engasgados, roxos e sufocados por aquela mortal bolinha doce de aspecto inofensivo.
Muito bem, aconselhada pela madrinha, resolvi arriscar... Saímos à rua, ela segurando o príncipe e eu a cada cinco minutos , ou menos, conferindo o tamanho da bolinha, assim como sua localização. 

Até que por um momento raro de distração, deixei que o tempo passasse, esquecendo-me da missão que havia sido a mim e por mim conferida: tomar conta do raio do pirulito!!Percebi como num impacto, que naquela mão gordinha só havia o palitinho branco e nem sinal da bolinha. Pronto!! Meu mundo caiu. Comecei a gritar em desespero! Minha carreira de mãe havia se extinguido. Meu primogênito fora condenado por extrema negligência.
 
A madrinha do Renan, que sempre foi branquinha, empalideceu de vez, permanecendo estática como cúmplice da situação. Não satisfeita, enfiei dois dedos na boca da criança que, por sua vez, não esboçava reação a não ser o costumeiro meio sorriso no canto da boca. 

Meu escândalo foi tanto, que pessoas começaram a parar para assistir a tal cena: Uma mulher, nessa altura em completo desatino, descabelada, sacudindo um menino de cabeça para baixo a fim recuperar a bolinha do pirulito que estaria dentro dele. Nessa de vira para cima, sacode para baixo, chacoalha prum lado e pro outro, eis uma luz no fim do túnel: uma coisinha vermelha brilhava no outro lado da mão do menino. Era a bolinha!! Ele só estava segurando o fatídico pirulito ao contrário.


De lá pra cá, incontáveis micos se passaram, mas devo assegurar a todos de que não importa o período de encubação, pois quando se ama incondicionalmente, acabamos infectados e infectando a quem nos cerca. Não sei bem descrever a sensação daquele momento. Uma condensada mistura de alívio e vergonha tomou conta de mim. Comecei a chorar abraçada ao meu filho e a sua doce e tão terna madrinha: "-- Ele não engoliu!!! O pirulito está aqui!!!" Comecei, mesmo sem intenção, a justificar a todos os que nos rodeavam e que, de alguma forma , compuseram aquele cenário cômico- dramático de uma mãe pagando o maior mico de todos os tempos. 


Hoje, afirmo que não há como controlar o agente transmissor desse amor e, dessa forma, nos proteger do vírus do Mico. Ainda bem, né? 

(Mônica Jogas - mãe do Renan e da Maitê)

23 comentários:

  1. Seu texto me fez delirar em vários sentidos: encantada pela forma e estilo de expressão, vencida pela gargalhada só de imaginar o desespero da cena, aliviada porque percebi que ser mãe é pagar o preço que precisar, nem que seja uma chuva de micos, porque o nosso amor derruba qualquer tabu! Não estamos sozinhas nesse mundo "micótico" pagamos mico sim, quantos precisarem...e daí? E vou mais longe: quem nunca pagou mico, bom sujeito não é kkkkkkkk Amei demais seu texto! parabéns!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que boooooom!!! Obrigada, Zizi!!! É muito gratificante escrever e ter esse retorno. Beeeeijos.

      Excluir
  2. Por isso que logo vou dizendo que ele não gosta de doce, rsss me vi em Vc, acho que surto... Bjs bethy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu surtei meeeesmo Hahahha obrigada por comentar!

      Excluir
  3. Kkkkkkkkkkkk
    Muito bom!
    Morrendo de rir com a minha mãe aqui.
    Adorei teu senso de humor ao reconhecer esse lindo e inigualável vírus.
    Lindo texto. Amei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc não tem noção do meu desespero hahahhaha

      Excluir
  4. É impressionante como em momentos de desespero, envolvendo nossos filhos, nem paramos para raciocinar. Já pensamos no pior e reagimos como loucas e que se dane o mundo. Mas quando a adrenalina passa... Vivi a cena com você e imaginei a sua cara quando percebeu a bolinha do pirulito na mão dele.
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Como sempre, AMO seus textos, dos mais emocionantes e mais sérios até os mais engraçados, como este!!! Parabéns!!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Eu me identifiquei pra caramba com o seu texto, com o seu relato, pois também sou mãe meio desesperada, que certamente veria o palitinho do pirulito vazio e JAMAIS pensaria na possibilidade de ele estar segurando de forma invertida. Mãe já pensa no pior, já se culpa, já acha que vai morrer junto! Impressionante! Somos loucas... e nos tornamos ainda mais nesses momentos de tensão!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Uma vez perdi Miguel no mercado, imenso, e quase morri. Procurei por todo o canto e nada de encontrar. Desisti e me sentei na porta, num ângulo que dava pra ver todas as saídas, e comecei a chorar, desesperada, quando ele veio, todo feliz, dizendo que eu não o encontrei no pique-esconde. Ria e chorava, abraçava elezinho e dava bronca. Coisa de louca mesmo, que só as mães entendem! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  6. Obrigadaaaaa kkkkkkkk
    O amor justifica nossos atos falhos hahhaha
    Tb tenho muitas histórias assim ,,,,só Deus para nos suportar e entender...

    ResponderExcluir
  7. Adorei, Mônica! Muito engraçado e bem escrito! Espero que a coletânea desses textos renda um livro!

    ResponderExcluir
  8. Kkkkkkk.. Fiz cm o Bob: enqto lia, imaginava a cena descrita por vc!! Até a carinha da Marcia eu consegui visualizar!!
    De fato pagamos muitos micos, mas para minha graça, a bala Soft já havia saído de circulação qdo meus filhos eram crianças...!! Essa bala era um grande vilã, pra mim! Kkkkkk
    Excelente texto! Amei!

    ResponderExcluir
  9. Hahhaha
    A carinha da Marcia foi de dar dó !!! Kkkk

    ResponderExcluir
  10. Tô morrendo com esses micos kkkmkk
    Mônica, que sarro! Imaginando a cena, acho que faria a mesmíssima coisa hahaha e se eu estivesse com minha mãe, ia piorar um pouco o escândalo kkkj
    Adorei!

    ResponderExcluir
  11. Não tem como não viver a cena... que delícia de texto!!! Só doçura!!! Parabéns!! São experiências inesquecíveis!!!

    ResponderExcluir
  12. kkkkkkk Amei seu texto ! Eu também ficaria desesperada. rsrs

    ResponderExcluir
  13. Li imaginando vcs dois há anos atrás... Monica realmente pagamos inúmeros micos, mas que sem eles (os micos), talvez não seríamos MÃES de verdade. Não há quem diga que uma boa mãe nunca pagou um mico por sua cria, seja em um momento de desespero por uma determinada situação, ou tb por fazer algo só para alegra los em meio a multidão.
    Grande bj para vc!

    ResponderExcluir
  14. Li imaginando vcs dois há anos atrás... Monica realmente pagamos inúmeros micos, mas que sem eles (os micos), talvez não seríamos MÃES de verdade. Não há quem diga que uma boa mãe nunca pagou um mico por sua cria, seja em um momento de desespero por uma determinada situação, ou tb por fazer algo só para alegra los em meio a multidão.
    Grande bj para vc!

    ResponderExcluir

O que lhe veio à mente depois de ler este texto?!? Queremos muito saber!!! Comente!!! Obrigada!!!