sexta-feira, 18 de março de 2016

Meu primeiro mico materno


Como sou nova no ofício de mãe, é claro que tenho poucos micos, mesmo porque tenho medo de sair de casa com o pequeno, o que acaba evitando muita coisa! Sorte minha! (risos)

Em uma bela terça-feira, pela manhã, combinei com minha prima de levar o pequeno LG ao médico de ônibus e lá fomos nós! Acordei cedo, me arrumei, arrumei o pequeno e saí atrapalhada para pegar o ônibus.

Eis que o mico surge... Ao descer as escadas, com medo de cair, um filhote de mariposa entra no meu nariz. Pronto! Avaria feita. Entro no ônibus louca. Meu filho, a esta hora, já estava no colo da dinda e eu me derretendo toda, aos pingos de suor, no ônibus com ar condicionado ligado no máximo. Detalhe: o primeiro horário faz frio pacas e eu suada fungando, soando o nariz, querendo tirar o bicho a todo custo... (risos)

Todos olhando, assustados, para mim, até que uma pessoa quebra o silêncio e diz:

-- Nossa! Essa cheirou tudo que tem direito!

Pai do céu! O bicho me mordendo, me incomodando, fazendo o maior auê dentro do meu nariz e eu ainda ganho fama de drogada! Vixe! Aí a resposta também logo veio:

-- Não sou viciada não, senhora. É que entrou um bicho no meu nariz...

O bicho andou do bairro Jacaré até a Avenida Joaquim Nogueira, onde resolveu sair do meu nariz. A essa altura eu já me via com nariz aberto de tanto que o bicho me mordia e, para variar, meu filho ria de mim... O primeiro (e até agora único) mico para a minha coleção! 

(Elizabeth Oliveira -  mãe do Luís Gustavo - vulgo LG)

7 comentários:

  1. Nossa! Que situação cruel você passou: um bicho querendo marcar território em seu nariz e pessoas tirando conclusões precipitadas! Ainda bem que conseguiu resolver da melhor maneira. Basta um milésimo de segundo e tudo muda em nossas vidas num imprevisto nunca imaginado! Não sei bem se é mais cômico ou trágico, mas com certeza eu não gostaria de estar em seu lugar para saber quanto foi desesperador passar por isso (embora tenha ocorrido comigo algo parecido: uma formiga entrou em meu ouvido enquanto eu dormia e eu vivi momentos de pânico até conseguir expulsar a infeliz, depois de quase uma hora de luta). Nunca somos avisadas ao sermos escolhidas para protagonizar uma comédia, só nos resta rebolar...rebolar.....e se virar...ai meu Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que o diga rsss, mas superei embora apavorada

      Excluir
  2. Menina, que aflição só em ler a sua situação, quem dirá se fosse comigo! Mas eu sou doida, e certamente ficaria de cabeça pra baixo no ônibus, me sacudindo, até o raio do bicho sair, na marra, do meu nariz! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    As pessoas podem ajudar, mas sempre preferem julgar, né? Impressionante!!! Ô mundo...

    E que imagino que alívio quando o invasor resolveu sair... e que barato seu pequeno se acabar de rir, sem nem se dar conta do que, de fato, houve. No mínimo, achou que fosse alguma bobagem sua para fazê-lo rir e se distrair!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. Que situação difícil amiga!!! Nem consigo imaginar uma coisa dessas! Com certeza foi muito constrangedor!

    ResponderExcluir
  4. Que dó de você, Elizabeth kkkj
    E que aflição! Ter um bichinho dentro do nariz aproveitando a carona rsrsrs
    Ainda por cima, se chamada de drogada! Senhor rsrs
    Adorei! Quer dizer....adora o texto rs

    ResponderExcluir
  5. Que sufoco ! Ui, fiquei morrendo de peninha do seu mico rsrs

    ResponderExcluir

O que lhe veio à mente depois de ler este texto?!? Queremos muito saber!!! Comente!!! Obrigada!!!