terça-feira, 28 de junho de 2016

All Star azuuuuuuuul


O contato do Miguel com a música veio antes mesmo de ele nascer. Comecei a ouvir um monte de música clássica, porque havia lido em algum lugar que isso ajudava a criança a vir calma (tudo bem que não funcionou muito, mas... tentei... vai que, sem isso, ele fosse ainda mais agitado... he he he). Ficava hoooras em frente ao computador lendo, e ouvindo música enquanto alisava a minha barriga, que crescia, crescia, crescia... 

Ouvia também muito Vander Lee, Adriana Calcanhoto, Legião Urbana, Ana Carolina, Eliane Printes, Isabella Tavianni, Nando Reis... e alguns louvores. De todas as músicas, duas marcaram profundamente a nossa trilha sonora, pois toda vez que eu as ouvia, em especial, Miguelito chutava pra valer... e eu interpretava, claro, que ele estava gostando! (risos) Depois que ele nasceu eu adorava cantá-las para ele, principalmente enquanto mamava e ficava me olhando, mexendo em meus cabelos... Ambas são, curiosamente, do poderoso Nando Reis! 

A primeira foi "Espatódea" e até hoje eu choro quando chega nesta parte: "Não sei quanto o mundo é bom / Mas ele está melhor / Desde que você chegou / E explicou o mundo pra mim". Fico emocionada porque compartilho dessa opinião de que é uma loucura colocar filho no mundo do jeito que as coisas estão hoje em dia... mas também me encho de amor e gratidão a Deus por ter me permitido não só ser mãe, mas por ser mãe DELE, do Miguel, tão especial ele é! Parece ser algo contraditório, até meio assustador, mas eu acho que cada criança que vem ao mundo é uma prova de que Deus, em sua tamanha misericórdia, ainda acredita pra caramba na humanidade, ainda acha que vale a pena investir na gente, apesar dos pesares. É um gesto de amor não só entre pai e mãe, mas de Deus mesmo, pra e por nós! Eu creio! E, sem sombra de dúvida, o meu mundo ficou muuuuuuito melhor depois que o Miguel chegou! Sou um ser humano muito melhor também, mesmo sabendo que ainda tenho muito a evoluir.

A segunda música foi "All Star", que ele completava quando eu cantava... e eu achava um barato!!! Aquele cotoquinho de gente já sabendo fazer uma dupla com a mamãe cantando Nando Reis: "Estranho é gostar tanto do seu All Star azuuuuuuuuuuuuuul / Estranho é pensar que o bairro das Laranjeiras / Satisfeito sorri / Quando chego ali / E entro no elevador / Aperto o doze que é o seu andar / Não vejo a hora de te encontrar..."

É, estranho seria se eu não me apaixonasse mesmo por ele, que é meu All Star azul, preto, vermelho, laranja, todas as cores... Fechamento! Total! 

(Andreia Dequinha - mãe do futuro Nando Reis: Miguelito)

6 comentários:

  1. A música é realmente uma coisa encantadora! Ela propõe momentos incríveis de relaxamento. Ao cantar, a pessoa muda o foco, distrai a dor e a atenção do problema.
    Dizem que quando a mãe canta para o filho ele consegue memorizar a sua voz. É comprovado cientificamente que a música é capaz de acalmar os recém-nascidos. Você propôs isso ao Miguel tão lindamente!! A música tem esse poder!

    Você eternizou com: "Não sei quanto o mundo é bom / Mas ele está melhor / Desde que você chegou / E explicou o mundo pra mim"... É pra chorar com isso, não tem como não se emocionar!!!

    Obrigada por compartilhar com a gente tão doce texto!! Arrasou na escolha das palavras. Você nos trouxe uma verdadeira melodia! Simplesmente adoreiiii!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amo música... viajo ouvindo... ainda mais louvores... me colocam em contato direto com Deus... Me faz um puta bem! Miguel também gosta! E que bom que você também gostou do meu singelo texto! Beijos.

      Excluir
  2. Uma graça relacionar música com o filho. E tem sentido: cantamos para eles se acalmarem e sempre há aquela música que se repete, e por algum motivo, voltamos a ela porque existe uma conexão direta com o bebê.
    Esses momentos são mágicos, a comunicação se efetiva entre ambos. Filho e mãe já se falam porque a música, em sua melodia, entra produzindo uma harmonia e se estabelece lá dentro produzindo sensações de bem-estar. Isso é puro amor. Lindo demais as formas de comunicação entre mãe e filho.
    Tão maravilhoso quanto esse processo é ler seus escritos tão cheios de carinho, dedicação e reconhecimento de que seu filho foi o melhor presente divino e que ele modificou sua vida para melhor. Letras nadam em sensibilidade e emoção formando poesia, pois a música é poesia cantada e vc, Dequinha dá voz a essa harmonia.
    Parabéns pela escolha maravilhosa das músicas, elas falam por vc... Perfeito! Parabéns pelo lindo e tocante relato!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Zizi, pelo carinho de sempre! Recebo os seus comentários aqui como bilhetinhos enviados por baixo da porta. Vibro quando encontro cada um! Valeu! E sempre fico curiosa para saber qual será a sua visão sobre cada tema... esses retalhos lindos que vamos costurando aqui no blog e fazendo uma linda colcha!

      Excluir
  3. Elizabete Sampaio29 de junho de 2016 23:40

    Parabéns pelo texto Andreia,tão lindo, cheio de sentimento e tocante.Eu adoro músicas, e meus pequenos também gostam demais.Elas têm o poder de nos tocar profundamente alegrando nossas vidas, aliviando nossas dores e nos tornando pessoas mais felizes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo carinho, querida! A música é mesmo mágica... capaz de nos dar tudo o que precisamos naquele dado momento, né? E melhor ainda: é um remédio 0800... com a pobreza em que a gente anda... rs rs rs

      Excluir

O que lhe veio à mente depois de ler este texto?!? Queremos muito saber!!! Comente!!! Obrigada!!!