segunda-feira, 10 de abril de 2017

Não aprendi dizer adeus...



Infelizmente é hora de dizer adeus, ou, como das outras vezes, um "até logo", não sei, e isso só mesmo o tempo dirá! 

É inegável que adoro escrever neste cantinho e não só por compartilhar minhas histórias ligadas ao meu filhote e poder ler as das outras mamães, mas principalmente por ver este espaço como uma espécie de "guardião de memórias, de lembranças"! Será bom ver um dia o Miguel vindo aqui ler tantos assuntos relacionados a ele e a nossa história, juntos, sempre! 

Só que, atualmente, tem sido muuuuuuito difícil encontrar tempo de vir aqui escrever, de me organizar, de revisar os textos, de atualizar os temas semanais... não tenho conseguido nem comentar os textos das duas mamães sobreviventes e como incomoda a gente não receber mais nenhum comentário e tão poucas visitas! Também não tenho mais ânimo (nem tempo) para ficar cobrando para que escrevam com antecedência e tal... então... 

Por tudo isso, acho que é mais do que chegada a hora de colocar um ponto... ou reticências... já que ainda há tanta história para contar, tantos assuntos a se explorar... 

Que a gente tire um tempo para refletir, reavaliar, se organizar, fazer um balanço e ir, por enquanto, para a vida e para os balanços que ela nos oferece, talvez em busca de mais histórias para contar! Que a gente saiba aproveitar ao máximo os nossos filhos, porque, como diz uma música de que muito gosto, "a vida é trem-bala, parceiro, e a gente é só passageiro prestes a partir". 

Um abraço carinhoso a todos que, direta ou indiretamente, passaram por aqui e nos acompanharam! Até um dia, quem sabe!

Com carinho, 

Andreia Dequinha - a mamãe coruja do Miguelito

2 comentários:

  1. Amiga, Só quero agradecer, e pedir desculpas pelas tantas falhas, pelo trabalho que te dei ao longo dos anos... Aprendi muito com você, e sou muito grata por isso! Levarei para o resto da vida! ... Quero dizer também que foi muito gratificante participar desse universo "Maternaidade". Sentirei falta, mas você tem razão... Estamos passando por uma frieza, mas quem sabe né!?!... beijossssssssssssssss

    ResponderExcluir
  2. Dequinha, o trabalho realizado nesses anos todos é lindo demais, pois acredito que não há outras produções tão cheias de verdades, sentimentos, sensações, risos, lágrimas como estas nas quais registramos nossos dias de mamães e vivenciamos intensamente tantos fatos. Cada uma a seu modo, mas todas muito verdadeiras. Minha participação foi até onde eu consegui. Chegou um momento em que eu achei melhor pausar, até mesmo para eu renovar e (quem sabe) melhorar. A parada não representa uma negatividade. É como se fossem as férias por tempo indeterminado. Cada pessoa reage de um modo, para mim eu precisava parar. Tenho muito orgulho em ser uma integrante do grupo que deixou aqui alguns registros. Falo muito sobre esse blog para os outros. Tenho vc como uma pessoa que eu mais admiro, embora não conheça pessoalmente. Sua energia é imensurável, seu valor é infinito, sua competência sobressai em qualquer contexto. Se eu fosse aluna, gostaria de ter uma professora como vc. Enfim, vc é minha mestra!!
    Sua criatividade não adormece nos blogs, nas redes sociais, na vida, no dia a dia. Eu continuo por perto por opção, porque gosto e me faz bem. Continuo, de certa forma, a acompanhar as excelentes vibrações maternas e profissionais nas postagens suas, da Maria e das demais participantes do Arte &Manhas da Língua.
    Todas as criações do Maternaidade foram escritas com o pincel do coração e não há nada que se compare a isso. Amo e amarei tudo aquilo!!!!!

    ResponderExcluir

O que lhe veio à mente depois de ler este texto?!? Queremos muito saber!!! Comente!!! Obrigada!!!